Telemonitoramento na Odontologia em tempos de pandemia: Por que implementar?

     Todos nós sabemos que o atendimento odontológico demanda muita proximidade entre o dentista e o paciente, e isso acaba trazendo alguns riscos à saúde de ambas as partes. Os principais riscos têm relação com doenças infecciosas – aquelas que são transmitidas por vírus, fungos ou bactérias.

     Esses agentes patogênicos são transmitidos com bastante facilidade pela saliva e pelo sangue de pessoas contaminadas, que acabam afetando outras pessoas, até então saudáveis, pelo contato com mucosas da boca, nariz e olhos, por exemplo.

     Existem algumas maneiras de se reduzir esses riscos no consultório odontológico, e elas envolvem: o uso de EPIs, a higienização de mãos e a limpeza de equipamentos e superfícies. Entretanto, mesmo seguindo todas essas recomendações, o risco de contaminação ainda se faz presente nas consultas.

     Por isso, em tempos de pandemia e isolamento social, a melhor estratégia para reduzir a aglomeração de pessoas é reduzindo o número de atendimentos presenciais, mas sem colocar em risco a fidelização dos pacientes e o financeiro da clínica. Estamos falando do telemonitoramento!

Telemonitoramento na Odontologia

     O que é telemonitoramento?

     Telemonitoramento é mais uma forma de se implementar a tecnologia na Odontologia. Trata-se de atendimentos odontológicos realizados a distância, através de ferramentas de telecomunicação.

     É claro que nenhum tipo de telecomunicação irá substituir uma consulta presencial. Por isso, de acordo com a RESOLUÇÃO CFO-226, o telemonitoramento deve funcionar “com o objetivo único e exclusivo de identificar, através da realização de questionário pré-clínico, o melhor momento para a realização do atendimento presencial.”

     O telemonitoramento também permite o acompanhamento a distância dos pacientes que estão em tratamento, no intervalo entre as consultas presenciais. Assim, esses atendimentos a distância não são formas de substituir as consultas presenciais, mas sim de complementá-las!

     Então, utilize essa forma de comunicação para esclarecer as dúvidas dos pacientes, fazer recomendações, acompanhar a evolução do tratamento e, caso necessário, encaminhar a uma consulta presencial.

     Clique aqui e confira a RESOLUÇÃO CFO -226 na íntegra.

     Confira as 3 principais vantagens de se implementar o telemonitoramento na Odontologia

     1.      Diminui aglomerações

     Através de ferramentas de telecomunicação, é possível fazer algumas orientações aos pacientes respeitando o isolamento social, diminuindo, assim, a aglomeração de pessoas em seu consultório/clínica odontológica.

     2.      Possibilita avaliar a necessidade de um atendimento presencial

     Por meio de questionários e orientações rápidas, é possível avaliar a real necessidade de um atendimento presencial.

     3.      Melhora os resultados e fideliza os pacientes

     O telemonitoramento permite acompanhamentos mais frequentes e faz com que o tratamento alcance os melhores resultados possíveis. Além disso, atendimentos frequentes, mesmo que por meios digitais, aumentam a satisfação e a fidelização dos pacientes.

     Essas são algumas das vantagens de se implementar o telemonitoramento no consultório odontológico. Mas você pode estar se perguntando: se o CFO liberou o telemonitoramento somente durante a pandemia, devo investir meu tempo nisso?

     Nós, do Instituto Marcelo Pedreira, acreditamos que sim! Vivemos em uma era cada vez mais tecnológica e precisamos nos adequar as novas necessidades da Odontologia que prometem ocupar um espaço muito importante na sociedade.

     Não deixe de conhecer nossos cursos!

Deixe uma resposta